terça-feira, 9 de julho de 2013

Autocrítica

















Só duas coisas conseguiram
(des)feri-lo até a poesia:
o Pernambuco de onde veio
e o aonde foi, Andaluzia.
Um, o vacinou do falar rico
e deu-lhe a outra, fêmea e viva,
desafio demente: em verso
dar a ver Sertão e Sevilha.

A Escola das Facas (1975-1980).

[João Cabral de Melo Neto]

Nenhum comentário:

Postar um comentário