domingo, 12 de agosto de 2012

Pedra Bonita



"Estava aborrecido do mundo. Viera andando à toa. Até ali. Andando como se não fosse para parte nenhuma. Para ele o mundo era igual, tudo igual, tudo triste, tudo acabado. E pegava na viola e tocava. Era triste o que ele tocava. Os versos eram tristes, as mágoas imensas." (pag. 68)

"A escuridão enchia a noite, mas a madrugada não tardou a chegar. Aquela casa no meio do deserto. Um curral de pedra, pertinho, e a caatinga cercando. A caatinga sem fim, igual, léguas e léguas. E aquela casa, e aquele povo, vivendo sem medo, sem desgosto." (pag. 85)

[José Lins do Rego, in Pedra Bonita]

Um comentário: