quarta-feira, 7 de julho de 2010

Trechos Manoel de Barros...

"Bicho acostumado na toca encega com estrela."

"Eu sustento com palavras o silêncio do meu abandono"

"Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina."

"Tem mais presença em mim o que me falta."

"O abandono me protege."

"Não gosto da palavra acostumada."

"Tenho preguiça de ser sério."

"Poesia é a loucura da palavra."

"As palavras continuam com seus deslimites."

"Choveu na palavra onde eu estava."

"Uma certa luxúria com a liberdade convém."

"Coisa tão velha como andar a pé. Esses vareios do dizer."

"Ai frases de pensar! Pensar é uma pedreira. Estou sendo."

"Pra mim, sapo é uma pedra que pula, quer dizer então que pedra é um pedaço de chão?"

"Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu destino."

"Andando devagar eu atraso o final do dia."

"Livre, livre é quem não tem rumo."

''A chuva deformou a cor das horas.''

"Eu só não queria significar. Porque significar limita a imaginação."

"A minha independência tem algemas."

''Eu sou cul­pado de mim.''
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário