terça-feira, 1 de setembro de 2009

Pequeno poema de após chuva



















Frescor agradecido de capim molhado
Como alguém que chorou
E depois sentiu uma grande, uma quase envergonhada
[alegria
Por ter a vida
continuado...

[Mario Quintana; Baú de Espantos]

Nenhum comentário:

Postar um comentário