sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Flor de açucena




Quando acariciei o teu dorso,
campo de trigo dourado,
minha mão ficou pequena
como uma flor de açucena
que delicada desmaia
sob o peso do orvalho.
Mas meu coração cresceu
e cantou como um menino
deslumbrado pelo brilho
estrelado dos teus olhos.

92, Porantim

Thiago de Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário